Segunda-feira, 26 de Março de 2007

Fabulando - O Galo e a Raposa

Ouvia em pequeno esta fábula, encantado, do tempo em que os animais falavam. Como não havia televisão, nem internet, nem consolas de jogos, nem cafés, nem … , o tempo decorria de outro modo e conversar, contar contos, falar das coisas do dia a dia, era uma forma de estabelecer laços e divulgar cultura. Esta era uma jóia da sabedoria popular que se transmitia de geração em geração, exclusivamente pela via oral.

Então é assim:

Certo dia, estava um imponente galo empoleirado no alto de uma esguia cerejeira, todo vaidoso, a exibir os seus dotes de grande cantador, com que pretendia impressionar as galinhas das redondezas.

Pelas imediações vagueava a matreira raposa, à procura de almoço, e ao ouvir os estridentes sons do cantador logo pensou que a refeição estava próxima e tentou aproximar-se sorrateiramente para surpreender o emplumado galináceo.

Porém, quando viu que o seu alvo estava inacessível, tratou de urdir um estratagema para ver se ludibriava o tagarela.

Então, como quem não quer a coisa, a raposa pôs em marcha o seu astucioso plano.

– Bom dia amigo Galo, então, já sabe da novidade?

– Novidade? - Ripostou o Galo – Mas que novidade?

– Então – disse a Raposa – foi publicado um decreto real em que se determina para todos os animais serem amigos e conviverem em paz e harmonia.

– Ah! – exclamou o Galo – Não sabia… E já entrou em vigor?

– Já. - Respondeu a raposa – Desce cá para baixo que vamos passear e conversar como bons amigos…

– Pois… eu descia… mas estou a ver que vêm aí dois enormes mastins e parece que não trazem cara de bons amigos…

– Ah… pois é… e eu também estou cheia de pressa, vou indo… adeus…

E assim, o astuto canídeo se foi afastando “de fininho”, não fosse ficar com o casaco esburacado pelas poderosas dentuças dos seus parentes domésticos.

Publicado por Eira-Velha às 14:06
Link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
|
Sábado, 24 de Março de 2007

O Corvo e a Raposa

Era unha vez un corvo que se achegou a unha ventá na que había un queixo pousado. Como tiña fame, colleuno e marchou con el.
Polo camiño viu unha árbore moi xeitosa e decidìu parar alí e comer o seu queixo. Nese intre chegou un raposo e dìxolle:
—Que plumaxe máis bonita tes! Canta, a ver como cantas!
O corvo, ó recibir tantas loubanzas do raposo, púxose a cantar. Non se deu conta do que ía facer, e por ser tan orgulloso caeulle o queixo e o astuto do raposo marchoulle con el.
Moralexa: Desconfía do que te alabe, porque a alabación sempre foi unha perdicción.

Uma versão, em galego, de um conto que eu ouvia de meu Pai. Só que o "paleio" da raposa para ludibriar o parvo do corvo era muito mais elaborado. Dizia a raposa:
—Mestre corvo repimpado, como estais guapo! Se o som da vossa voz corresponder à côr da vossa plumagem só vós sereis a fenix da nossa floresta...
De resto, o sentido e a lição que se pretende transmitir é o mesmo. O envaidecido corvo abriu as goelas e o resultado foi o que se viu.
Publicado por Eira-Velha às 09:37
Link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
|

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Vale do Tua - Uma paisage...

Momentos...

Antes que seja tarde dema...

Cá se vai andando...

Inverno

Fruta da Época

Cidadania

Novas Construções

Fátima - Uma questão de F...

Around the World "Don't W...

Arquivos

Outubro 2011

Julho 2011

Dezembro 2010

Março 2010

Janeiro 2010

Novembro 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Outubro 2005

Julho 2005

Maio 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Janeiro 2004

tags

todas as tags

Laços

blogs SAPO

subscrever feeds